Meninas formam coletivos feministas em escolas e debatem temas como assédio sexual e bullying eletrônico

    O movimento feminista chegou também às escolas de ensino médio. Garotas a partir de 14 anos têm organizado coletivos para debater temas como o assédio sexual, o bullying eletrônico e o veto de shorts nos colégios.

12065927_840749909355652_952223564675266219_n    Na cidade de São Paulo já existem ao menos oito coletivos em escolas públicas e privadas, que se unem para ler teóricas do feminismo ou em grupos que surgiram após episódios de machismo e trotes. Além de São Paulo, o movimento também tem chegado em escolas do Rio de Janeiro e em Recife.

    Não se tem estatísticas exatas sobre a presença do “feminismo” nas escolas, mas uma pesquisa da Fundação Perseu Abramo, de 2010, com mais de 2 mil mulheres adolescentes e adultas, mostrou que 40% das meninas entre 14 e 17 anos diziam ser feministas.

    O interesse pelo tema tem surpreendido as feministas mais veteranas. “É muito bonito ver essa nova geração de mulheres reescrevendo o feminismo”, disse Débora Diniz, antropóloga e professora da Universidade de Brasília (UnB).

Fonte: Folha de S. Paulo

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *