Garota de 17 anos cria aplicativo para mapear assédio nas ruas do Brasil

    De acordo com a pesquisa Chega de Fiu Fiu, do Coletivo Think Olga, cerca de 99,6% das mulheres já foram assediadas nas ruas. Em meio a estratégias de luta contra essa violência surgiu o aplicativo “Sai Pra Lá”, lançado nessa semana. A ferramenta permite que as usuárias marquem em um mapa, de forma anônima, o local exato em que o assédio aconteceu.

    O intuito do ‘Sai Pra Lá’ é mapear o assédio e atuar na prevenção dele, mostrar para as mulheres quais são os locais onde mais ocorrem assédios e pressionar os órgãos responsáveis pela segurança para que tomem atitudes.

12195902_841531045944205_7973690385120202180_n

    A criadora, Catharina Doria, tem apenas 17 anos e está no ensino médio. Ela conta que teve a ideia há quatro meses: “Eu estava em um dia péssimo e, para completar, um cara me assediou na rua. Fiquei com muita vontade de responder, mas tive medo. Depois, em casa, tive a ideia de criar um aplicativo para que as meninas pudessem fazer alguma coisa sobre isso”.

    O aplicativo permite ainda que as mulheres classifiquem o assédio como “sonoro” (como assovios e gritos), “verbal’ (cantadas e xingamentos), “físico” (apalpadas e passadas de mão) ou “outros” (não especificados).
Para o futuro do aplicativo, Catharina pensa em colocar a opção de denunciar em estações de metrô, além de melhorar a localização de cada marcação: “Como tudo é muito caro, esperamos que a divulgação ajude a trazer novos colaboradores para começar essas melhorias”.

Fonte: Revista Fórum

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *