Jardins de Chuva e a Resiliência das Metrópoles

Por Ulrich Zens

Estão em discussão na cidade de São Paulo medidas de drenagem urbana sustentável. O objetivo é alcançar resiliência frente aos problemas ambientais relacionados às mudanças climáticas que se apresentam, principalmente, em três tipos de ocorrências extremas: chuva, seca e calor.

A iniciativa da prefeitura de São Paulo apoiada por várias organizações e especialistas inclui os “jardins de chuva” como uma das medidas práticas a serem adotadas.

A inspiração para este artigo veio da minha participação na implantação do jardim da chuva da Vila Jataí no mês de abril de 2016. A iniciativa foi dos moradores da Vila Jataí, um pequeno bairro localizado na Zona Oeste de São Paulo, junto com a subprefeitura de Pinheiros, projeto técnico e supervisão do escritório de arquitetura Incriatório, do qual sou sócio junto com o João Pedro Cilli David.

Este artigo explica o porque esse é o caminho certo!

O Case: Jardim de Chuva, Vila Jataí / São Paulo
Foi implementado no abril 2016 no bairro Vila Jata um “jardim de chuva” num canteiro verde, integrado na área do cruzamento da Rua Livi com Rua Padre Cerda.

Detalhe do projeto mostrando a parte que fica coberta pelo solo e vegetação

A instalação foi muito significativa, pois é um modelo de uma abordagem sustentável para espaços públicos em vários aspectos:

• Participação dos moradores
A instalação foi iniciada pelos moradores, que fizeram uma proposta para a Subprefeitura, de instalar mais canteiros verdes no Bairro Vila Jatai, dentro dos espaçosos corredores das ruas. A subprefeitura aprovou o conceito e as obras,pois trazem mais qualidade ambiental e podem diminuir a velocidade do trânsito dentro do bairro.

• Superação do processo de desenvolvimento

A subprefeitura ainda não tem entre os serviços e materiais contratados condições de executar totalmente um jardim de chuva. Para facilitar o processo, os moradores propuseram que o conceito do jardim de chuva fosse implantado em um dos canteiros. Forneceram um conceito diferente, o projeto técnico (do Incriatório) e materiais específicos (bidim, piso vazado e plantas). Desse jeito, a obra pode ser executada de um jeito diferente, contando com a participação dos cidadãos.

• Transformação
Os canteiros verdes, em geral, e o jardim de chuva, em específico, trazem ativamente uma nova qualidade urbana para o bairro, e podem virar uma referência para outros lugares comparáveis na cidade.

Confira a matéria completa aqui.

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *