Projeto usa plantas nativas para transformar o Minhocão

    O Minhocão é um dos pontos mais criticados e polêmicos da cidade de São Paulo. A construção, que data da década de 70, corta o centro da cidade, colocando carros e muito poluição direto na janela dos moradores vizinhos. Há anos a obra é tema de discussões sobre possíveis demolições ou transformação de seus mais de três quilômetros em parque. Independente dos rumos que esses debates tomarão, algo precisa ser feito com urgência para transformar a serpente de concreto em algo mais bonito. O movimento “Novas Árvores Por Aí”, junto com o coletivo Parque Minhocão, tem a solução: espalhar plantas por todo o elevado.

minhocao_capa    A proposta é muito simples e barata. Segundo Nik Sabey, um dos criadores do projeto, a ideia é colorir e dar mais vida ao minhocão. “Seja como for, ele precisa ser verde”, comenta o publicitário e ambientalista. De acordo com ele, não é necessário muito mais do que mudas de plantas conhecidas como “trepadeiras”, árvores e alguns fios de aço.

    As movimentações para que este sonho se torne realidade já começaram. O primeiro “plantio” ocorreu em um dos acessos próximo à Praça Roosevelt. O segundo local já foi escolhido e, inclusive, até tem uma trepadeira. No espaço, o único trabalho será instalar um cabo conecte a planta ao outro lado da avenida. O bacana deste tipo de vegetação é que ela se espalha naturalmente, sem que seja necessária muita manutenção, principalmente depois que ela já “pegou”.

    A ideia é fazer isso por toda a extensão do elevado. São 3,4 quilômetros de concreto e poluição, que estão com os dias contados. Os movimentos já articulam os próximos passos e o projeto já foi desenhado profissionalmente para que toda a população consiga visualizar o que pode ser feito, quais benefícios a mudança pode oferecer e como uma obra tão feia e criticada pode ser renovada.

    Além das trepadeiras, o Minhocão deve ganhar árvores, guarda-sóis, que garantirão uma sombrinha aos frequentadores do Parque Minhocão, muito mais cor e vida. Os idealizadores querem usar espécies de plantas nativas, comestíveis e que tenham flores, para resgatar a biodiversidade original que se perdeu no meio da urbanização.

Fonte: CicloVivo

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *